Notícias - Coluna do Castilho

Home Notícias Uma corrida por 14 pontos
Voltar

Coluna do Castilho

Uma corrida por 14 pontos

Uma corrida por 14 pontos
©Mercedes Benz

Por Castilho de Andrade 

 

É o que Lewis Hamilton precisa na corrida do próximo domingo no circuito Hermanos Rodriguez para conquistar o hexacampeonato mundial de Fórmula 1: abrir mais 14 pontos sobre Valtteri Bottas. A diferença é de 64 pontos. Se chegar a 78, Hamilton será campeão pela sexta vez. O GP do México começa às 16h10, com transmissão ao vivo pela SporTV. A mesma emissora mostra o treino de classificação, sábado, às 15h.

Ferrari e Red Bull poderão ser o ‘fiel da balança’ nessa disputa. Com o título de construtores já decidido em favor da equipe Mercedes, as duas escuderias rivais terão como papel mais importante nas quatro provas restantes da temporada de 2019 – México, Estados Unidos, Brasil e Abu Dhabi – o objetivo de marcar presença e, de preferência ‘carimbar’ a vitória da Mercedes, chegando na frente. Livres da tática de ‘correr pelos pontos’, a vitória é o que interessa. E vale a pena arriscar em estratégias mais ousadas e surpreendentes.

O retrospecto da Ferrari não é favorável desde que a prova voltou a ser disputada no México. Em quatro corridas, a Mercedes venceu duas vezes e a Red Bull outras duas, exatamente as duas últimas – 2017 e 2018 – com Max Verstappen, exatamente um dos pilotos mais agressivos da atual temporada que mantém uma disputa particular com Charles Leclerc e Max Verstappen pelo terceiro lugar no campeonato. Leclerc é o terceiro com 221 pontos enquanto Verstappen e Vettel dividem o quarto lugar com 212. Luta aberta, portanto.

Verstappen, entretanto, já deixou claro que seu objetivo é atacar os adversários logo no início nas quatro corridas. E não parece que será diferente com a dupla da Ferrari que, além disso, mantém uma ácida disputa doméstica interna.

O México poderá também ser palco de alguns anúncios importantes, visando a temporada de 2020. A Red Bull marcou este GP para oficializar se Alexander Albon ou Pierre Gasly ganharão a condição de companheiro de Verstappen no ano que vem. Também a Williams poderá definir quem será o substituto de Robert Kubica. E a Haas, por sua vez, terá condições de cravar o nome de Kubica como piloto de testes da escuderia no ano que vem. 

 

Castilho de Andrade é jornalista especializado em automobilismo e Diretor de Imprensa do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1.