Notícias

Home Notícias Sebastian Vettel: Ferrari, adeus
Voltar

Sebastian Vettel: Ferrari, adeus

Sebastian Vettel: Ferrari, adeus
©️ Scuderia Ferrari

Por Castilho de Andrade 

Agora é oficial. O alemão Sebastian Vettel, 32 anos, tetracampeão mundial de Fórmula 1, não pilotará um carro da Ferrari em 2021. Não houve acordo sobre salário e duração de um novo contrato e Sebastian preferiu anunciar sua saída, mesmo com toda uma temporada pela frente. A Ferrari comunicou que a decisão foi de ‘comum acordo’.

Vettel disputou em cinco anos 102 corridas e obteve 14 vitórias, além de 54 pódios e dois vice-campeonatos. A Ferrari queria mais. Convém lembrar, entretanto, que Michael Schumacher só conquistou seu primeiro título pela Ferrari no seu quinto ano de equipe.

A vaga na Ferrari e o futuro de Vettel passam a ser agora os dois assuntos cruciais da Fórmula 1 que manterá, no ano que vem, as mesmas regras atuais, com alguma liberdade apenas para mudanças aerodinâmicas. O que significa que, na prática, não se poderá esperar ainda uma mudança radical na relação de forças da categoria.

O primeiro tema, a vaga de Vettel, já tem um caminho. O primeiro nome mencionado é o do australiano Daniel Ricciardo, hoje na Renault, que já teve alguma ‘proximidade’ com a Casa de Maranello. Além de trato fácil, Ricciardo é rápido e tem a experiência necessária para dirigir a Ferrari. E poderia ser um bom companheiro para Charles Leclerc que, apesar do talento inquestionável, ainda necessita de tempo para ganhar mais segurança.

É pouco provável que a Ferrari opte por um piloto mais jovem, sem muita experiência, para esta vaga. Volta e meia fala-se de Lewis Hamilton. Não seria um golpe perigoso colocar os dois na mesma equipe? Leclerc poderia se desequilibrar. E Hamilton não se dá bem em disputas domésticas. Vale o mesmo para Max Verstappen.

A segunda questão é mais complexa. Em tese, a McLaren – que passará a contar com motores Mercedes – seria o caminho ideal para Vettel. É uma equipe organizada, bem conceituada, tradicional que poderia oferecer um bom pacote ao piloto alemão.

Outro caminho seria a Renault. Mas a equipe teria que ter um upgrade para receber o tetracampeão.

Vettel também poderia anunciar a despedida das pistas no perto do final de 2020? Poderia ser não contar com uma boa proposta. Torço para que ele permaneça. 

 

 

Castilho de Andrade é jornalista especializado em automobilismo e Diretor de Imprensa do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1.