Notícias - Coluna do Castilho

Home Notícias Porque Lewis Hamilton vence!
Voltar

Coluna do Castilho

Porque Lewis Hamilton vence!

Porque Lewis Hamilton vence!
©️ Mercedes AMG F1 Team

Por Castilho de Andrade 

A resposta é importante para os adversários, os críticos e suas dezenas de milhares de admiradores em todo mundo. Ele vence porque usa todos os recursos que dispõe – técnica, inteligência e audácia – e explora todas as possibilidades do carro que pilota. O raciocínio raso – ‘ele só vence por causa da Mercedes’ – não se encaixa. Nem a réplica: ‘senta lá para ver se é fácil’. O sétimo título mundial pode sair na próxima etapa, 15/11, em Istambul. A dobradinha da Mercedes garantiu com folga, por antecipação, o heptacampeonato mundial de Construtores.

Em Ímola, Hamilton mudou a estratégia por causa da largada, mas terminou na frente. Saiu em segundo, atrás de Valtteri Bottas, não evitou a ultrapassagem de Max Verstappen e caiu para terceiro. Sem muitas opções para superar os dois adversários na pista, deixou a solução para o pit stop. Optou por permanecer mais tempo na pista, serviu-se de um safety car virtual, impôs mais velocidade – sem correr riscos – esperou pista limpa e fez a troca de pneus com tempo suficiente para permanecer na frente e conquistar sua 93ª vitória na carreira – a nona nas 13 provas já disputadas este ano.

Resumindo, administrou a vitória e a trama para vencer outra vez. Os pilotos mais novos, contemporâneos privilegiados, têm muito o que aprender. Aos demais cabe reverenciar talento do inglês.

E os adversários? Bottas, batido na pista, teve também o assoalho da Mercedes avariado por uma peça solta do toque entre Sebastian Vettel e Kevin Magnussen e terminou em segundo; Daniel Ricciardo voltou a fazer uma corrida inteligente e mereceu o terceiro lugar; Max Verstappen sofreu um pneus estourado e abandonou a 15 voltas do final; Charles Leclerc não teve potência para ir além do quinto lugar; em sua melhor corrida no ano, Sebastian Vettel foi traído por um péssimo pit stop de 13 segundos e ficou, outra vez, fora da zona de pontos; Pierre Gasly largou bem e abandonou logo depois com problemas mecânicos.

 

 

Castilho de Andrade é jornalista especializado em automobilismo e Diretor de Imprensa do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1.