Notícias - Coluna do Castilho

Home Notícias Mercedes insuperável na corrida 1000 da Fórmula 1
Voltar

Coluna do Castilho

Mercedes insuperável na corrida 1000 da Fórmula 1

Mercedes insuperável na corrida 1000 da Fórmula 1
©️ Mercedes AMG F1 Team

Por Castilho de Andrade

Que Lewis Hamilton era o favorito para o GP da China – ele venceu a prova pela sexta vez – ninguém duvidava. A surpresa foi a facilidade com que ele chegou à bandeirada final sem se deixar ameaçar por ninguém. Pior para a Ferrari que esperava um rendimento superior de seus motores, aproveitando a grande reta de 1,7 quilômetros do traçado de Xangai. Depois de uma duvidosa estratégia envolvendo Charles Leclerc, a Ferrari assistiu à terceira dobradinha consecutiva da Mercedes que dispara no Mundial de Construtores.

Hamilton chegou à sua 75ª vitória – mantido o ritmo atual ele deverá superar as 91 de Michael Schumacher no ano que vem – simplesmente largando melhor do que o pole Valtteri Bottas. E foi abrindo com calma e segurança. E Bottas foi atrás. No speed trap que acusa as velocidades mais altas na pista, Lewis Hamilton foi apenas o 17º, provando que não precisou acelerar tanto. O mais rápido, pela segunda vez consecutiva, foi o surpreendente tailandês Alexander Albon, que chegou a um bom 10º lugar depois de largar no fim da fila. Não por acaso foi escolhido por internautas de todo o mundo como ‘Driver of the Day’.

A Ferrari ordenou que Charles Leclerc abrisse passagem para Sebastian Vettel ainda no começo da prova – Leclerc ultrapassou o companheiro de equipe logo depois da largada – e, mais tarde, demorou para ordenar que o piloto entrasse no box para a troca de pneus. Com isso, Leclerc acabou perdendo o quarto lugar para um constante Max Verstappen. A verdade é que a Ferrari não teve na China condições de superar a Mercedes, mas talvez se desse melhor se ‘liberasse’ Leclerc para acelerar desde o princípio.

Charles Leclerc não gostou da forma como a estratégia foi conduzida pela escuderia. Os próximos passos serão cruciais para a Ferrari administrar o problema. Sebastian Vettel tem uma personalidade tranquila e, parece, não se envolve muito nas disputas internas embora assuma a condição de primeiro piloto o que não poderia ser diferente para um tetracampeão mundial.

A bela disputa entre Max Verstappen e Sebastian Vettel – um dos pontos altos da prova – provou que a Red Bull Honda segue em evolução. E, como prêmio, Verstappen segue na frente dos pilotos da Ferrari no Mundial de Pilotos.

O lance final da corrida ficou por conta de Pierre Gasly. Sexto colocado, sem chance de chegar ao quinto e sem risco de perder a posição, o piloto parou no box a duas voltas do final, trocou os pneus, e acelerou para assinalar a volta mais rápida da prova, 1min34s742, ganhando o ponto extra. Esse recurso criado este ano está se revelando bem interessante, dando um novo alento na parte final da corrida quando as posições dos pilotos, na maioria das vezes, estão cristalizadas.

 

 

Castilho de Andrade é jornalista especializado em automobilismo e Diretor de Imprensa do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1.