Notícias - Coluna do Castilho

Home Notícias GP Brasil de Fórmula 1: emoção sem fim e casa lotada.
Voltar

Coluna do Castilho

GP Brasil de Fórmula 1: emoção sem fim e casa lotada.

GP Brasil de Fórmula 1: emoção sem fim e casa lotada.
@betoissa

Por Castilho de Andrade 

Para Fernando Alonso, Max Verstappen é o melhor do piloto da Fórmula 1 no momento. Pode ser exagero, mas quando está brigando pela vitória, o show está garantido. E o GP Brasil, neste domingo, comprovou a tese. A corrida foi simplesmente sensacional com as disputas entre Lewis Hamilton e Max Verstappen, o heroísmo de Pierre Gasly batalhando pelo segundo lugar e o incrível acidente entre Sebastian Vettel e Charles Leclerc, tirando os dois da corrida.

 E o futuro do GP Brasil a partir de 2021 teve um novo capítulo. O governador João Dória anunciou que nova rodada de reuniões com a Liberty Media deverá acontecer entre dezembro e janeiro. A proposta já está pronta e a corrida poderá ter um novo nome: Grande Prêmio São Paulo do Brasil. A ideia é fazer do GP uma alavanca para novos negócios em São Paulo. Dória pretende um contrato a longo prazo até 2030. A corrida de domingo foi perfeita para a defesa de Interlagos: público de 158,213 nos três dias ( melhor desde 2001, quando o autódromo tinha ainda outra configuração, com mais arquibancadas tubulares) e uma prova excepcional proporcionada também pelas características do traçado.

De volta ao GP, quando a corrida já parecia definida, a 20 voltas do final, o safety car (discutível) provocado pela quebra do motor de Valtteri Bottas provocou uma reviravolta na corrida, acirrando as disputas e as tentativas de ultrapassagens, a maioria no S do Senna. Para Verstappen foi um dia de glória, depois de aplicar duas ultrapassagens no hexacampeão mundial Lewis Hamilton.

No final, ao tentar uma ultrapassagem sobre Sebastian Vettel, Charles Leclerc acabou sofrendo o toque quando o piloto alemão deslocou o carro. Os dois acabaram eliminados. Leclerc com a suspensão quebrada: Vettel com o pneu furado. Dia negro para a Ferrari.

 As táticas distintas entre as equipes e mesmo entre as duplas de pilotos fizeram do GP Brasil em Interlagos uma corrida imprevisível. E ninguém poderia apostar no vencedor por conta das opções por uma ou duas paradas. Lewis Hamilton acabou fazendo uma a mais no final, aproveitando um safety car, quando saiu nas últimas duas voltas acelerando muito forte para tentar ultrapassar três carros com motores Honda. Bateu em Alexander Albon e acabou punido.

O resultado final mostrou o crescimento dos motores Honda que ficaram com os dois primeiros lugares. Não fosse atingido por Hamilton, Albon seria o terceiro motor Honda no pódio de Interlagos.

A melhor volta da prova ficou com Valtteri Bottas que ganhou o ponto extra. E o vencedor Max Verstappen também foi escolhido pelos internautas de todo o mundo como o ‘Driver of the Day’. Havia outros candidatos sérios: Pierre Gasly, que deu o terceiro pódio da história da Toro Rosso, que Carlos Sainz, que largou em último e acabou em terceiro (depois da desclassificação de Lewis Hamilton). Mas o torcedor votou em que demonstrou mais disposição de ir para a luta e desafiar o hexacampeão mundial, Lewis Hamilton. E, com esse raciocínio, a escolha de Max Verstappen foi correta.

 Castilho de Andrade é jornalista especializado em automobilismo e Diretor de Imprensa do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1.