Notícias - Coluna do Castilho

Home Notícias Bottas já assusta Hamilton?
Voltar

Coluna do Castilho

Bottas já assusta Hamilton?

Bottas já assusta Hamilton?
©Mercedes AMG F1 Team

Por Castilho de Andrade

Depois de voltar a liderança do Mundial com a vitória em Baku, no Azerbaijão, Valtteri Bottas mostra que não será ‘apenas’ o companheiro de equipe de Lewis Hamilton. O finlandês veio para vencer no seu último ano de contrato com a equipe. Teremos uma reedição do Mundial de 2016 quando Nico Rosberg desequilibrou Hamilton e levantou o campeonato? Resposta nos próximos capítulos.

Valtteri Bottas mostrou talento e personalidade na sua segunda vitória na temporada 2019 da Fórmula 1. Simples assim. Dominou a largada depois de um tenso duelo com Lewis Hamilton e não permitiu que nenhum outro adversário o acossasse. O título de ‘Driver of the Day’, dado pelos internautas, foi para Charles Leclerc, responsável pelo ponto extra com a melhor volta da prova. Mas quem merecia o título era Bottas.

Não é fácil segurar Hamilton na largada de um grande prêmio. Não é fácil ir do começo ao fim sabendo que, a qualquer momento, o menor deslize pode ser fatal para a perda da liderança da prova. E nas duas voltas finais, Hamilton recebeu a ‘orientação’ de que poderia abrir a asa e atacar se assim o desejasse. Estava a menos de um segundo do companheiro. Mas escorregou de leve e perdeu a chance. O resultado final fez justiça ao finlandês que recuperou a liderança do campeonato.

A Mercedes está dominando o Mundial com categoria. Dos 176 pontos possíveis, a equipe somou 173 até agora. Só não fez os três pontos correspondentes a melhor volta das três últimas corridas. Na primeira, o responsável pela volta mais rápida foi Bottas. Graças a isso, ele lidera o Mundial com um ponto sobre Hamilton.

A Ferrari, por força do destino, teve que deixar o carro de Charles Leclerc com pneus médios na largada, o mesmo que ele utilizou no Q2, depois de bater no treino de classificação. Isso foi crucial para o jovem piloto ferrarista. Ele permaneceu na pista até onde deu e parou a 20 voltas do final para colocar pneus macios. Mas aí já não tinha mais tempo de sair em perseguição aos líderes. Mas sem chance de ganhar o quarto lugar de um cada vez mais equilibrado Max Verstappen ou de perder sua posição para Sergio Perez, Leclerc fez o que o manual recomenda: fez nova parada, colocou pneus macios e cravou a melhor volta da corrida segundos antes da bandeirada.

Se o domínio da Mercedes no Mundial de Construtores é absoluto, entre os pilotos a divisão de pontos entre Valtteri Bottas e Lewis Hamilton pode permitir um avanço dos adversários. Os 35 pontos que separam Sebastian Vettel de Bottas não permite que o líder afrouxe a corda. E ainda temos 17 corridas pela frente.

Detalhe curioso. Pela primeira vez, até onde vai minha memória, vi um piloto atingir o outro de ré. O culpado foi Daniel Ricciardo que atingiu Daniil Kvyat ao tentar voltar para a pista. Os dois ficaram de fora da corrida. Vale a pena procurar a cena no YouTube.

 

 

Castilho de Andrade é jornalista especializado em automobilismo e Diretor de Imprensa do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1.