Notícias - Coluna do Castilho

Home Notícias A dívida de Vettel com Hockenheim
Voltar

Coluna do Castilho

A dívida de Vettel com Hockenheim

A dívida de Vettel com Hockenheim
©️ Scuderia Ferrari

Por Castilho de Andrade

Sebastian Vettel nunca venceu em Hockenheim, uma de suas pistas favoritas. E a torcida alemã aguarda o momento de comemorar sua primeira conquista. Seria no próximo domingo? Se depender do retrospecto da Ferrari no circuito e do cômodo domínio da Mercedes este ano não vai ser fácil. A última vitória da Ferrari foi em 2012 com Fernando Alonso. E, por seu lado, a Mercedes venceu as três últimas corridas, sendo as duas últimas com Lewis Hamilton.

A Mercedes venceu todas as provas da atual temporada. E a Ferrari, que terá jogos de pneus diferentes das escolhas de Mercedes e Red Bull, indica que buscará chegar em primeiro lugar com uma estratégia alternativa. Pode dar certo mas as chances são relativas.

O GP da Alemanha sofre com o cancelamento de corridas nos últimos anos. Os GPs de 2015 e 2017 não foram realizados e a ameaça paira agora sobre da prova do ano que vem. Isso dificulta o trabalho das equipes porque os circuitos mudam muito em dois anos. Dessa forma, a corrida não pode ser considerada previsível. No ano passado, a chuva que molhou a pista acabou provocando uma troca de posições e Sebastian Vettel que largou na pole e liderou boa parte da corrida – com a ajuda de Kimi Raikkonen – acabou batendo sozinho. E a Mercedes garantiu a vitória de Lewis Hamilton, determinando que Valtteri Bottas não atacasse seu companheiro de equipe. Bottas teria condições de fazer a ultrapassagem.

Dessa forma, o GP da Alemanha tem ingredientes bem interessantes. A dívida de Vettel com sua torcida, a série ininterrupta de vitórias da Mercedes, problemas com a estratégia da Ferrari durante as corridas, o crescimento de Max Verstappen com a Red Bull/Honda, a evolução surpreendente da McLaren que já está fechada com a mesma dupla para 2020, entre outros elementos. Fora isso, algumas questões estão mais visíveis, agora. Os problemas da equipe Haas com seu patrocinador principal, a Rich Energy. E as dúvidas que cercam o futuro da Williams. Se não bastasse tudo isso, a discussão sobre as novas regras para 2021 estão chegando na hora da verdade. E a volta do carro asa para facilitar ultrapassagens já está na mesa de negociações. É esperar para ver o que vai acontecer.

 

 

Castilho de Andrade é jornalista especializado em automobilismo e Diretor de Imprensa do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1.